O trabalho de alfabetizar adolescentes nos centros de medidas socioeducativas / The work of alphabetizing adolescents in socio-educational centers

Eliziete Nascimento de Menezes, Francisco Gonçalves de Sousa Filho

Resumo


A fase da adolescência é uma transição entre a infância e a vida adulta. Nesse período da vida o adolescente busca uma identidade se inserindo em grupos que compartilham dos mesmos interesses e perspectivas. No decorrer das experiências vividas e compartilhadas com seus iguais eles são capazes de influenciar e sofrerem influências tanto positivas como negativas. Diante disso, compreendemos que nesse processo de autoconhecimento e autoafirmação muitos jovens, por motivos diversos acabam cometendo atos infracionais, sendo submetidos, portanto, amedidas socioeducativas. Como consequência, é muito comum entre os adolescentes o abando escolar, comprometendo o desenvolvimento das competências da leitura e escrita na idade certa. Diante dessa situação surge a nossa grande questão: como acontece o processo de alfabetização de adolescentes que, atualmente, estão cumprindo medidas socioeducativas? O objetivo deste trabalho foi analisar a prática pedagógica das professoras que desenvolvem o trabalho de alfabetizar adolescentes que, atualmente, encontram-se em situação de privação de liberdadenas Unidades de Medidas Socioeducativas, considerando a dinâmica da modalidade de Educação de Jovens e Adultos (EJA) e a rotina dessas instituições, bem como as peculiaridades que diferem essa ação docente nos Centros de Medidas do trabalho que é realizado na escola regular. Para dar conta desse objetivo, apoiamo-nos teoricamente nos trabalhos de autores que versam sobre o trabalho decente (TARDIF, 2014),(THERRIEN, 2003; 2007); as teorias cognitivas da aprendizagem (LAKOMY, 2014), entre outros. Como percurso metodológico, optamos por pesquisa qualitativa. O trabalho constou de aplicação de questionários online entreas professoras socioeducadoras. A construção e as análises dos dados foram realizadas utilizando as respostas dos questionários respondidos. A análise dos dados nos permitiu perceber que, acerca dotrabalhodesenvolvido entre os menores, as entrevistadas responderam que recebem formação sistemática, porém são desafiadas todos os dias a atrair este aluno e resgatar o interesse pelos estudos, além das dificuldades que enfrentam com uma rotina diferente da escola regular. Portanto, podemos concluir que as professoras fazem o trabalho docente levando em conta seus saberes experienciais, entre outros saberes destacados por nós nesta pesquisa. Dessa maneira, percebemos um interesse por parte das docentes em desempenhar um trabalho produtivo, dinamizar as aulas, e alcançar os adolescentes nos três níveis de ensino, resgatando a autoestima, sob o intuito de alfabetizá-los e reinseri-los na sociedade.

 


Palavras-chave


EJA. Adolescentes. Alfabetização. Prática Docente

Texto completo:

PDF

Referências


CEARÁ. Secretaria de Educação do Estado do Ceará. Adolescentes dos Centros Socioeducativos voltam às aulas. 2017. Disponível em: Acesso em: 02 mai 2017.

FORTALEZA. Secretaria Municipal de Trabalho Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Manual de Medidas Socioeducativas de Fortaleza. SETRA, Fortaleza, 2016. Disponível em: Em: 02.06.17 às 10h 00min.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessário à prática docente. Ed. Paz e Terra, São Paulo, 1996.

LAKOMY, Ana Maria. Teorias Cognitivas da Aprendizagem. Curitiba: Ed. InterSaberes, 2014.

MAGALHÃES, Rita de Cássia Barbosa Paiva (Orgs.). Formação e práticas docentes. Fortaleza: UECE. 2007

Ministério da Justiça. Ministério da Educação. Departamento Penitenciário Nacional (Depen). Portal Brasil.Lei prevê redução de pena para os presos que estudam. 2014. Disponível em: Acesso em: 22.06.17 às 12h 20min.

NASCIMENTO, Sandra Maria do. Educação de Jovens e Adultos EJA, na Visão de Paulo Freire. Campinas, SP, 2013. Disponível em:

SAVIANI, Dermeval. A Nova Lei da Educação - LDB: trajetórias, limites e perspectivas. Ed. Autores Associados. 12ª edição, São Paulo, 2011.

TARDIF, Maurice. O trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. 9. Ed. – Petrópolis, RJ: Vozes, 2014b.

THERRIEN, Jacques; LOIOLA, Francisco Antonio. Experiência e Competência no Ensino: o diálogo do conhecimento pessoal com a ação na construção do saber ensinar. Publicado em: Revista Educação em Debate. nº 45, 2003.

THERRIEN, Jacques; MAMEDE, Maíra; LOIOLA, Francisco. Trabalho docente e transformação pedagógica da matéria: alguns elementos da gestão dos conteúdos no contexto da sala de aula. In.: SALES, José Álbio Moreira de; BARRETO, Marcília Chagas; NUNES, João Batista Carvalho; NUNES, Ana Ignez Belém Lima; FARIAS, Isabel, Maria Sabino de;.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.