Formação continuada de professores: percepções docentes e implicações para as práticas pedagógicas desenvolvidas em aulas de ciências / Continuing teacher education: teachers’ perceptions and implications for pedagogical practices developed in science classes

Dilair do Vale, Josenilson da Silva Costa, Francisco Sidomar Oliveira da Silva, Aline Andréia Nicolli

Resumo


O presente artigo tem como objetivo apresentar os resultados de um estudo que buscou identificar percepções de professores acerca dos processos de formação continuada aos quais foram submetidos, nas duas décadas pós aprovação da LDB 9394, de dezembro de 1996, bem como da importância desses processos para o aprimoramento das práticas pedagógicas em aulas de ciências ministradas nos anos iniciais do ensino fundamental. Para atender tal objetivo utilizamo-nos principalmente dos escritos de Imbernón (2009 e 2011); Arroyo (2000); Nóvoa (2001) e Tardif, (2014).  O estudo caracterizou-se por ser prioritariamente de cunho qualitativo, sendo a coleta de dados realizada por meio da aplicação de um instrumento impresso composto por quatro tópicos. Partindo do pressuposto de que, de um lado, a formação continuada é um processo necessário à profissão docente e, de outro, em aulas de ciências deve-se promover a formação do sujeito permitindo que ele compreenda o mundo e suas transformações podemos dizer que os resultados obtidos foram muito satisfatórios à medida que revelaram que as percepções dos docentes, a respeito dos processos de formação continuada e suas implicações para as práticas pedagógicas, são essencialmente positivas.

 

 


Palavras-chave


Formação continuada, Ensino de Ciências, Ensino Fundamental

Texto completo:

PDF

Referências


ARROYO, M. G. (2000). Ofício de mestre: imagens e autoimagens. Petrópolis: Vozes.

BRASIL. (1996). Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional: nº 9394/96. Brasília.

BRASIL. (1997). Parâmetros Curriculares Nacionais: ciências naturais, volume 04. Brasília: MEC/SEF.

CARVALHO, M. A.; Alonso, M. R. M. H. (2009). Formação continuada de professores e mudança na prática pedagógica. In: ALONSO, M. (Org.). Prática docente: teoria e prática. São Paulo: Pioneira.

GASKELL, G; Bawer, M. W. (2002). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis: Vozes.

IMBERNÓN, F. (2011). Formação docente e profissional. (9. ed.) São Paulo: Cortez.

IMBERNÓN, F. (2009). Formação permanente do professorado: novas tendências. São Paulo: Cortez.

KRASILCHIK, M (1988). O ensino de ciências e a formação cidadão. Brasília: Em aberto.

KRASILCHIK, M (2004). Prática de ensino de biologia. (4. ed.) São Paulo: USP.

MINAYO, M. C. S. (Org) (1998). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. (9. ed.) São Paulo: Vozes.

NÓVOA, A. (2001). Os professores e sua formação. Lisboa: Instituto de Inovação Educacional.

TARDIF, M. (2014). Saberes docentes e formação profissional. (17. ed.) Petrópolis, RJ: Vozes.




DOI: https://doi.org/10.34115/basrv3n5-004

Apontamentos

  • Não há apontamentos.