Estudo físico-químico, tóxico e microbiológico associados à biorremediação nas águas do Riacho Reginaldo em Maceió / Physicochemical, toxic and microbiological study associated with bioremediation in Riacho Reginaldo waters in Maceió

Marília critiny Marques Lopes, Nathalia Maria Rogério Malta de Oliveira, Paulo Rogério Barbosa de Miranda, Eliane Costa Souza, Fabíola de Almeida Brito

Resumo


Nos últimos anos, Maceió tem evidenciado um crescimento populacional muito acelerado que acarretou na formação de aglomerados em grandes partes da cidade e a maioria desses sofrem por falta de infraestrutura local, incluindo a falta esgotamento sanitário. A carência desse atendimento em boa parte da população levou alguns riachos urbanos a exercerem um papel de esgotos. O riacho Reginaldo ou popularmente chamado de Salgadinho nem sempre foi poluído como hoje em dia, mas acabou se tornando um esgotamento sanitário devido à falta de saneamento de muitos bairros. Neste artigo iremos relatar os resultados das análises físico-químicas (pH, temperatura, acidez, sólidos dissolvidos e cloreto), microbiológica (coliformes totais e fecais) e tóxica (cádmio, chumbo e mercúrio) que foram realizadas em três escolhidos estrategicamente. Com os resultados das análises e de acordo com a literatura, serão pesquisadas plantas e bactérias que se adequeriam de forma comensal a situação atual do riacho, ajudando na biorremediação do mesmo.

 

 


Palavras-chave


Biorremediação. Fitorremediação. Riacho. Análise de água. Maceió.

Texto completo:

PDF PDF

Referências


AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS – ANA. Portal da qualidade das águas: Disponível em: . Acesso em: 29 set. 2017. 20:32:28

ALMEIDA, J. C. Avaliação do índice de qualidade da água na lagoa dos patos. 2013. 52 f. Trabalho de conclusão de curso (Graduação em engenharia ambiental e sanitária) – Universidade federal de Pelotas, centro de engenharia, Pelotas, 2013.

AMBIENTE ÁGUA BRASIL. Balneabilidade: Disponível em: < http://ambientes.ambientebrasil.com.br/agua/artigos_agua_salgada/balneabilidade.html >. Acesso em: 29 set. 2017. 20:00:27

ANDRADE, N. J.; MACÊDO, J. A. B. Higienização na indústria de alimentos. São Paulo: Varela, 1996. 189 p.

ANDRADE, J. A. Biorremediação de solos contaminados por petróleo e seus derivados. Eclética química, Campinas, v. 35, n. 3, p. 17-43, 2010.

ARAÚJO, M. C. et al. Análise da qualidade da água do riacho Cavouco – UFPE. 2012. 8 f. projeto de Iniciação Científica (mestrando em bioquímica e fisiologia -Universidade Federal de Pernambuco- UFPE. Recife, 2012.

BRAGA, B. et al. Introdução à Engenharia Ambiental. In:______. O desafio do desenvolvimento sustentável. 2. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall. 2005. p. 305.

BRASIL. CONAMA. Conselho nacional do meio ambiente. Resolução nº 357, de 17 de março de 2005-Dispõe sobre a classificação dos corpos de água e diretrizes ambientais para o seu enquadramento, bem como estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes, e dá outras providências, nº 053, de 18/03/2005. Disponível em: < http://www.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=459>. Acesso em: 29 out 2016.

BRASIL. CONAMA. Conselho nacional do meio ambiente. Resolução nº 430, de 13 de maio de 2011 - Dispõe sobre as condições e padrões de lançamento de efluentes, complementa e altera a Resolução no 357, de 17 de março de 2005, do Conselho Nacional do Meio Ambiente-CONAMA Disponível em: < http://www.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=646>. Acesso em: 01 out 2017.

BRASIL. CONAMA. Conselho nacional do meio ambiente. Resolução nº 274, de 20 de novembro de 2000- considerando que a Política Nacional do Meio Ambiente, a Política Nacional de Recursos Hídricos e o Plano Nacional de Gerenciamento Costeiro (PNGC) recomendam a adoção de sistemáticas de avaliação da qualidade ambiental das águas, Disponível em: < http://www.mma.gov.br/port/conama/res/res00/res27400.html>. Acesso em: 30 set 2017.

Companhia de saneamento de Alagoas – CASAL. Disponível em:. Acesso em: 24 set. 2016.

Conselho nacional de engenharia e agronomia de alagoas- CREA-AL: disponível em :. Acesso em: 29 out. 2016, 17:38:45.

GALDINO, N.; TROMBINI, R. B.; Análise físico-química da água do córrego japira, localizado na cidade de Apucarana-PR. Terra e cultura p.67-76, Jul/Dez. 2011.

Instituto brasileiro de geografia e estatísticas - IBGE, 2016. Disponível em:. Acesso em: 23 set. 2016.

JARDIM, B. F. M. Variação dos parâmetros físicos e químicos das águas superficiais da bacia do rio das velhas-mg e sua associação com as florações de cianobactérias. 2011. 127 f. mestrado (Programa de Pós-graduação em Saneamento, Meio Ambiente e Recursos Hídricos) - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte. 2011.

MANFIO, G. P.; BELLINASO, M. L.; GAYLARDE, C. C. Biorremediação: Aspectos biológicos e técnicos da biorremediação de xenobióticos. Biotecnologia Ciência e Desenvolvimento, Brasília, n. 34. p. 36-43. janeiro/junho. 2005.

MOHEDANO, R A. Lemna valdiviana uma planta que vai alem de tratar os efluentes alimenta os peixes cultivados. REVISTA PANORAMA DA AGRICULTURA.

NOGUEIRA, F. F.; COSTA, I. A.; PEREIRA, U. A. Análise de parâmetros físico químicos da água e do uso e ocupação do solo na sub-bacia do Córrego da Água Branca no município de Nerópolis – Goiás. 2015. 53 f. Trabalho de conclusão de curso( bacharel em Engenharia Ambiental e Sanitária) - universidade federal de goiás. 2015.

PEREIRA, M. J.; AUGUSTO, T. R. L.; BRANDES, P. A. S. Anális microbiológica do trecho central do riacho são Lourenço. 2015. 4 f. Jornada Científica da Faculdade São Lourenço, Minas Gerais. 2015.

PIMENTEL, I. M. C. Avaliação quali-quantitativa das águas do riacho Reginaldo e seus efluentes. 2009. 158 f. (Mestrado em recursos hídricos e saneamento) – Universidade Federal de Alagoas . Maceió. Alagoas. 2009.

Portal saneamento básico. 2015. Disponível em:. Acesso em: 23 set. 2016.

Prefeitura de Maceió. 2014. Disponível em:. Acesso em: 23 set. 2016.

SILVA, M. L. et al. Análise físico-química da água do córrego Mumbaba e do riacho Mussuré- João Pessoa/PB. Polêmica – revista eletrônica, Rio de Janeiro, v. 13, n. 4, p. 1522-1531, out/dez. 2014.

SOARES, I. A.; FLORES, A. C.; MENDONÇA, M. M.; BARONI, S. Fungos na Biorremediação de Áreas Degradadas. Arquivos do instituto biológico, São Paulo, v. 78, n. 2, p. 341-350, abr/jun. 2011.

SILVA, T. D. M. Avaliação da qualidade microbiológica da água de consumo em uma unidade de saúde de Belém, PA. 2009. 18 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Biomedicina) - Universidade Federal do Pará. Belém. 2009.

ZUMACH, R. Enquadramento dos cursos de água: Rio Itajaí- Açu e seus principais afluentes em Blumenau. 2003.133 f. (Dissertação de mestrado) - Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. 2003.




DOI: https://doi.org/10.34115/basrv3n5-03

Apontamentos

  • Não há apontamentos.