Percepção socioambiental e turística na área de proteção ambiental da Foz do Rio São Francisco em Alagoas / Social environmental and touristic perception in the environmental protection area of Foz Rio San Francisco in Alagoas

Anderson Gonçalves Ramos, Karwhory Wallas Lins da Silva, Daniela Calumby de Souza, Alan César Vanderlei Moura, Fabíola de Almeida Brito

Resumo


Piaçabuçu é um município alagoano que fica situado às margens do rio São Francisco, essa região faz parte de uma APA. Nesse trabalho de pesquisa buscou-se analisar de que forma se dá a percepção turística na Área de Proteção Ambiental na Foz do rio São Francisco em Piaçabuçu-AL. Foi realizado um estudo transversal descrito com abordagem quali-quantitativa aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Centro Universitário CESMAC, sob CAAE: 60278216.6.0000.0039. A aplicação dos questionários se deu na Foz do rio São Francisco, totalizando 160 voluntários que foram divididos em dois grupos: G1 (visitantes excursionistas) e G2 (trabalhadores do turismo). Constatou-se que a percepção varia dependendo da origem, faixa etária, gênero, profissão, escolaridade, e renda familiar. Do ponto de vista da responsabilidade ambiental, a maioria dos indivíduos abordados levou um saco plástico para o depósito do lixo gerado durante o passeio na Foz, sobretudo, verificou-se que 98,13% disseram ter simpatia pelas causas ambientais. Ainda, 35,51% concordam que a preservação do atrativo natural da Foz está ótima e 55,14% boa. Cada indivíduo possui diferentes percepções sobre determinados temas, desse modo, os visitantes excursionistas e os trabalhadores do turismo da Foz, enxergam nesse atrativo turístico natural uma oportunidade de progresso econômico mais rápido e maiores benefícios na qualidade de vida da população local.

 


Palavras-chave


Visitantes Excursionistas. Trabalhadores do Turismo. Piaçabuçu.

Texto completo:

PDF

Referências


ASSUNÇÃO, P. Turismo e processo de urbanização: desafios na preservação do patrimônio natural e cultural. Observatório de Inovação do Turismo - Revista Acadêmica, Rio de Janeiro, Vol. VII, nº2, p. 18-32, 2012.

BENI, M. C. Análise Estrutural do Turismo. 7 ed. São Paulo, SENAC, 2002.

BIGNAMI, Rosana Viana de Sá. A Imagem do Brasil no Turismo: construção, desafios e vantagem competitiva. São Paulo: Aleph, 2002.

BONFIN, Berenice Bley Ribeiro. A Geografia na Formação do Profissional em Turismo: discussão sobre uma proposta teórico-metodológica para a região litorânea do Paraná. São Paulo: USP, 2007. Tese (Doutorado em Geografia). Programa de Pós-Graduação em Geografia Física; Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas; Universidade Federal de São Paulo. São Paulo, 2007.

SCHIER, R. A. Trajetórias do conceito de paisagem na geografia. In: R. RA’E GA, Curitiba, n. 7. Editora UFPR, p. 79-85, 2003.

BRASIL. Lei n° 9.985, de 18 de julho de 2000. Regulamenta o art. 225, § 1o, incisos I, II, III e VII da Constituição Federal, institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza e dá outras providências.

BRASIL. Decreto n.º 88.421, de 21 de junho de 1983. Dispõe sobre a implantação da Área de proteção Ambiental de Piaçabuçu, no Estado de Alagoas e dá outras providências.

BRASIL. Ministério Nacional da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Aprova as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Brasília, DF. Diário Oficial [da] União. Disponível em: . Acesso em: 10 out. 2016

BRASIL – Ministério do Turismo. Plano Nacional do Turismo 2013-2016. Brasília, 2013. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2017.

CABRAL, S. A. S.; JÚNIOR, S. M. A.; LARRAZÁBAL, M. E. Levantamento das aves da área de proteção ambiental de Piaçabuçu, no litoral de Alagoas, Brasil. Ornithologia, Cabedelo, v. 1, n.2 p. 161-167, 2006.

CARVALHO, A. P.; RODRIGUES, M. A. N. Percepção ambiental de moradores no entorno do açude Soledade no Estado da Paraíba. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental, Santa Maria, v. 19, n. 3, p. 25-35, set./dez. 2015.

DIAS. R. Turismo Sustentável e Meio Ambiente. São Paulo, Atlas, 2008.

FOZ DO RIO SÃO FRANCISCO ENCANTA TURISTAS EM SERGIPE. [online]. Sergipe. 2015. Disponível em: < http://g1.globo.com/se/sergipe/noticia/2015/01/foz-do-rio-sao-francisco-encanta-turistas-em-sergipe.html>. Acesso em 15 out. 2016.

HISTÓRIA DE PIAÇABUÇU. [online]. Piaçabuçu. 2016. Disponível em: . Acesso em: 15 ago. 2016.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Alagoas >> Piaçabuçu. [online]. 2010. Disponível em: < http://cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?codmun=270680>. Acesso em: 24 ago. 2016.

KOTLER, P.; GERTNER, D. Country as a band, product and beyond: a place marketing and brand management perspective. Brand Management. Vol. 9, n. 4/5, 249-261, abr/2002.

LEFF, E. Discursos sustentáveis. São Paulo: Cortez, 2010.

MASUTTI, R. F.; et al.. Percepção de lotação e nível de satisfação dos visitantes como contribuições para a capacidade de carga turística das cavernas do PETAR (Iporanga, SP): resultados preliminares. In: MESQUITA, S. M. M.; ROCHA, C. MARQUETING E SATISFAÇÃO: turismo em Pirenópolis. Ateliê Geográfico, Goiânia, v. 3, n. 2, p. 149-178, 2009.

PADILHA. R. M. Olhar dos Bonitenses em Residir em um Local Turístico. 2011. Monografia (Curso de Turismo e Meio Ambiente) – Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Bonito, 2011.

PORTUGUEZ, A. P.Turismo, espaço e estratégias de desenvolvimento local. SEABRA, G. F; QUEIROZ, O. M. M. (Org.). João Pessoa: Editora Universitária da UFPB, 2012.

RASTEIRO, M.A.; TEIXEIRA-SILVA, C.M.; LACERDA, S.G. (orgs.) CONGRESSO BRASILEIRO DE ESPELEOLOGIA, 34, 2017. Ouro Preto. Anais... Campinas: SBE, 2017. p.643-647. Disponível em: . Acesso em: 18 ago. 2017.

RIBEIRO, M. N. L.; HIGUCHI, M. I. G. Percepção sobre turismo, lazer, conservação ambiental: um estudo com moradores do entorno de uma reserva florestal urbana. Turismo em Análise, São Paulo, v. 19, n. 3, p. 472-487, 2008.

SAMPAIO, C. A. C.; ZAMIGNAN, G. ESTUDO DA DEMANDA TURÍSTICA: EXPERIÊNCIA DE TURISMO COMUNITÁRIO DA MICROBACIA DO RIO SAGRADO, MORRETES (PR). CULTUR: Revista de Cultura e Turismo, Santa Cruz, v. 6, n. 1, p. 25-39, 2012.

SANTOS, M. Metamorfoses do espaço habitado. 5ª ed. São Paulo: Hucitec, 1991.

TAKAHASHI, L. Y. e MILANO, M. S. Preferências e percepção dos visitantes em relação aos impactos de uso público no Parque Estadual Pico do Morumbi e na Reserva Natural Salto Morato. Turismo Visão e Ação, BalneárioCamboriú, v.4, n.11, p.61-78, 2002.

TUAN, Y. F. Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. Londrina: Eduel, 2012.

XAVIER. H. Percepção Geográfica do Turismo: São Paulo, Aleph, 2007.




DOI: https://doi.org/10.34115/basrv3n5-002

Apontamentos

  • Não há apontamentos.