Diferentes olhares sobre a formação de professores para Educação Infantil / Different views on teacher education for Early Childhood Education

Joseane da Silva Miller Rodrigues, Noemi Boer

Resumo


O presente trabalho é recorte da dissertação de Mestrado da primeira autora, assim, objetiva-se evidenciar na concepção de professores, em que medida, os cursos de magistério e Pedagogia, preparam em termos de conhecimentos teórico-prático para atuação na Educação Infantil. Para isso, inicialmente, se faz um levantamento histórico a respeito dos Cursos Normal e de Pedagogia, o que possibilitou fundamentar as percepções dos professores sobre sua formação. Essa pesquisa justifica-se pelo fato das dificuldades da primeira autora em atuar em tal etapa educacional mesmo tendo perpassado por essas duas modalidades de formação. A metodologia utilizada é de abordagem qualitativa (MINAYO, 2013) e cunho bibliográfico (GIL, 2008). Para a coleta de dados utilizou-se o questionário com 12 questões abertas, este foi encaminhado para o e-mail de cinco professores da rede pública e privada do município de Santa Maria-RS. Para a participação nesta pesquisa foi utilizado os seguintes critérios: efetiva docência na Educação Infantil e experiência mínima de 3 anos na atividade. Como a pesquisa envolve seres humanos, foi submetida ao Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos da Universidade Franciscana (UFN), obteve parecer de aprovação nº 2.221.217, CAAE 72502817.6.0000.5306. Os participantes assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE). Para a análise das informações coletadas no questionário foi utilizada a análise de conteúdo de Bardin (2015). Conclui-se que a formação pedagógica para atuar na Educação Infantil, geralmente não contempla aspectos específicos dessa etapa educacional, pois o ensino nos cursos de formação de professores enfatiza regras e procedimentos sem articulá-los com a prática, o que foi evidenciado na maioria dos argumentos. Dessa forma, é necessária uma formação voltada para a Pedagogia da Infância em que teoria e prática caminham juntas em prol da qualidade da educação.


Palavras-chave


Educação Infantil; formação docente; atuação profissional.

Texto completo:

PDF

Referências


ARANHA, M. História da educação e da pedagogia: geral e Brasil. 3. ed. São Paulo: Moderna, 2006.

AZEVEDO,H. H. O de. Educação Infantil e formação de professores: para além da separação cuidar-educar. 1.ed. São Paulo: Editora Unesp, 2013.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. 4. ed. Lisboa: Edições 70, 2015.

BARBOSA, M.C.S.; CANCIAN, V. A.; WESHENFELDER, N.V. pedagogo generalista – professor de educação infantil: implicações e desafios da formação. Revista FAEEBA – Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 27, n. 51, p. 45-67, jan. /abr. 2018.

BARBOSA, M. C. S.; GOBATTO, C. A. (Dupla) Invisibilidade dos bebês e das crianças bem pequenas na educação infantil: tão perto, tão longe. Humanidades e Inovação, v. 4, n. 1, p. 21-36, 2017.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Lei n. 9.394 de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 23 dez. 1996.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. v.1. Brasília, DF: MEC/SEF, 1998. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/rcnei_vol1.pdf. Acesso em: 6 jun. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação e Saúde. Fixa as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei número 4.024, de 20 de dezembro de 1961. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 27 dez. 1961.

BRASIL. Ministério da Educação e Saúde. Lei número 5.692, de 11 de agosto de 1971. Fixa as Diretrizes e Bases para o ensino de 1° e 2º graus, e dá outras providências. DiárioOficialdaUnião, Brasília, DF, 18 ago. 1971.

BRASIL. Ministério da Educação. Curso de pedagogia dobra o número de formandos nos últimos sete anos. 2011. Disponível em: http://www.brasil.gov.br/educacao/2011/02/curso-de-pedagogia-dobra-o-numero-de-formandos-nos-ultimos-sete-anos. Acesso em: out. 2017.

BRASIL. Ministério de Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia, licenciatura. Resolução CNE/CP 1/2006. Diário Oficial da União, Brasília, 16 de maio de 2006, Seção 1, p. 11.

CARVALHO, M. P. No coração da sala de aula: gênero e trabalho docente nas séries iniciais. São Paulo: Xamã, 1999.

CHARLOT, B. Formação de professores: a pesquisa e a política educacional. In: PIMENTA, S. G.; GHEDIN, E. Professor reflexivo no Brasil: gênese e critica de um conceito. São Paulo: Cortez, 2002. p.89-110.

CRUZ, G. B. O curso de Pedagogia no Brasil na visão de pedagogos primordiais. 2008. 302f. Tese (Doutorado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC). Disponível em: https://www.maxwell.vrac.pucrio.br/Busca_etds.php?strSecao=resultado&nrSeq=11787@1. Acesso em: 19 nov. 2017.

FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS (FGV). A Formação de Professores na Educação Infantil. You tube, 9. maio. 2018. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=i9JnHBa5nvk. Acesso em: 8 jan. 2019.

GATTI, B. A.; BARRETTO, E. S. de S. Professores do Brasil: impasses e desafios. Brasília, DF: Unesco, 2009.

GATTI, B.A.; BARRETTO, E. S. de S.; ANDRÉ, M. E. D. A. Políticas docentes no Brasil: um estado da arte. Brasília, DF: UNESCO, 2011.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GOMES, M. de O. Formação de professores na Educação Infantil. 2.ed. São Paulo: Cortez, 2013.

LOURENCETTI, G. do C. O Trabalho docente dos professores secundários na atualidade: interseções, particularidades e perspectivas. Araraquara: Junqueira e Marin, 2008.

MELO, S.D.G. Trabalho e conflituosidade docente: alguns aportes. In: SEMINÁRIO DA REDE LATINO-AMERICANA DE ESTUDOS SOBRE TRABALHO DOCENTE-REDE ESTRADO, 7. Buenos Aires, 2008. Anais... Buenos Aires: Rede Estrado, 2008.

MINAYO, M. C. de S. (Org.). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 33. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

MOACYR, P. A instrução e o império: subsídios para a história da educação no Brasil (1823-1853) v.1. São Paulo: Editora Nacional,1936.

OSTETTO, L. E. (Org.). Educação Infantil: saberes e fazeres da formação de professores. Campinas, SP: Papirus, 2008.

OSTETTO, L.E. Encontros e encantamentos na educação infantil. Campinas, SP: Papirus, 2000.

PIMENTA, S. G. A formação de professores para a educação infantil e para os anos iniciais do ensino fundamental: análise do currículo dos cursos de pedagogia de instituições públicas e privadas do estado de São Paulo. In: ENCONTRO NACIONAL DE DIDÁTICA E PRÁTICAS DE ENSINO, 17., 2014, Fortaleza. Anais… Fortaleza: ENDIPE, 2014. p. 1-18.

PROVÍNCIA do Rio de Janeiro. Lei n. 10 de 04 de abril de 1835. “Cria uma Escola Normal na Capital da Província do Rio de Janeiro”. In: Coleção de Leis, Decretos e Regulamentos da Província do Rio de Janeiro desde 1835. Niterói: Tipografia Niterói, 1839, p. 22-26.

RICHARDSON, R.J. Pesquisa social: métodos e técnicas. 4.ed. São Paulo: Atlas, 2017.

ROMANELLI, O. O. História da educação no Brasil. 13.ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1991.

SANTOS, E. A. Profissão docente: uma questão de gênero. Fazendo Gênero, v. 8, p. 1-7, 2008.

SAVIANI, D. (Org.). O legado educacional do “longo século XX” brasileiro. In: _____. et al. O legado educacional do século XX no Brasil. Campinas, SP: Autores Associados, 2004, p. 9-57.

SAVIANI, D. A pedagogia no Brasil: história e teoria. 2. ed. Campinas, SP: Autores associados, 2012.

SAVIANI, D; NASCIMENTO, M. A escola pública no Brasil: história e historiografia. Campinas: Autores Associados, 2005.

TANURI, L. M. História da Formação de Professores. Revista BrasileiradeEducação. São Paulo, n.14, p.61-193, maio/jun./jul. /ago. 2000.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 3.ed. Petrópolis: Vozes, 2003.

UNICAMP.Como deve ser o curso de Pedagogia no século XXI? Bernadete Gatti responde. You tube, 25. maio. 2017. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=NdIsmuv0Qlg. Acesso em: 04.jan.2019.

XAVIER, M; RIBEIRO, M; NORONHA, O. História da educação: a escola no Brasil. São Paulo: FTD, 1994.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.